Bioma Cerrado: Terra das Veredas e Berço das Águas

0
214

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul e neste espaço territorial encontram-se as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul (Amazônica/Tocantins, São Francisco e Prata), o que resulta em um elevado potencial aquífero e favorece a sua biodiversidade.

Além dos aspectos ambientais, o Cerrado tem grande importância social, muitas populações sobrevivem de seus recursos naturais, incluindo etnias indígenas, quilombolas, geraizeiros, ribeirinhos, babaçueiras, vazanteiros e comunidades quilombolas que, juntas, fazem parte do patrimônio histórico e cultural brasileiro, e detêm um conhecimento tradicional de sua biodiversidade.

Do ponto de vista da diversidade biológica, o Cerrado brasileiro é reconhecido como a savana mais rica do mundo, abrigando 11.627 espécies de plantas nativas catalogadas. Cerca de 199 espécies de mamíferos são conhecidas e a rica avifauna compreende cerca de 837 espécies. Os números de peixes (1200 espécies), répteis (180 espécies) e anfíbios (150 espécies) são elevados. De acordo com estimativas recentes, o Cerrado é o refúgio de 13% das borboletas, 35% das abelhas e 23% dos cupins dos trópicos.

Contudo, inúmeras espécies de plantas e animais correm risco de extinção. Estima-se que 20% das espécies nativas e endêmicas já não ocorram em áreas protegidas e que pelo menos 137 espécies de animais que ocorrem no Cerrado estão ameaçadas de extinção. Depois da Mata Atlântica, o Cerrado é o bioma brasileiro que mais sofreu alterações com a ocupação humana.

Vamos preservar o Cerrado Brasileiro!

O Trilhas Urucuianas reúne as melhores imagens das suas expedições pelo cerrado mineiro neste vídeo produzido pela TV Rio Preto Buritis, que apoia a Campanha da Fraternidade 2017, cujo tema é: “Fraternidade: Biomas brasileiros e defesa da vida”.

A nossa mensagem é de preservação do meio ambiente e de divulgação do ecoturismo de Buritis e região.

 

FOTOS: Gilberto Valadares, Leonardo Scherer, Lívia Alves e Marcilei Farias

 

 

Deixe uma resposta