Buritis a Rainha do Vale do Urucuia: Conheça as belezas do nosso município

0
2

Em comemoração aos 56 anos de Buritis, o Programa Trilhas Urucuianas traz para você um resumo da história do município e uma reportagem especial das mais belas paisagens e cachoeiras encontradas aqui.

Nos séculos que antecedem a colonização portuguesa, Buritis já foi habitado por tribos indígenas, como os tupis, guaranis e caiapós, entre outros. Com a chegada dos Bandeirantes no século XVII, aos poucos as primeiras casas de pau a pique foram construídas próximas da “Veredinha”, que possuía em sua volta uma grande quantidade de pés de coco buriti, que dá nome ao município.

 

Situado no Noroeste de Minas Gerais com uma área total de 5.219,469 km², Buritis foi emancipado em 1 de março de 1963 e conta com uma população de cerca de 24.000 habitantes. O município faz divisa com Goiás e possui em sua extensão uma parte do Planalto Central do Brasil. Está bem próximo do Distrito Federal a 240 km e por esta razão, Buritis é um dos quatro municípios (ao lado de Arinos, Unaí e Cabeceira Grande) de Minas Gerais que integra a Região Metropolitana do Distrito Federal.

 

A população distribui-se, além da cidade de Buritis, nos distritos de São Pedro do Passa Três e Serra Bonita. Além dos distritos, verifica-se em a presença de sete vilas (Vila Cordeiro, Vila Rosa, Vila Maravilha, Vila São Vicente, Coopago, Vila Serrana e Vila Palmeira), de núcleos de pequenos e médios produtores rurais, bem como por núcleos de colonização, relacionados à reforma agrária. A cidade está dividida em 11 bairros, Centro, Canaã, Taboquinha, Israel Pinheiro, São João, Jardim, Planalto, Veredas, Estância dos Ipês (1 e 2) e Residencial Extrema.

 

Em sua economia, o município é beneficiado pela fertilidade do solo e destaca-se como o terceiro maior produtor de grãos do Estado de Minas Gerais, com produção estimada de 410,1 mil toneladas em 2018. A região possui diversificada produção agrícola; com produção de grãos, soja, feijão, arroz, milho, sorgo, leguminosas, seringueira (látex), banana, café, mandioca, laranja (citricultura), algodão, e outras variedades.

A pecuária destaca-se pela produção de gado de corte e de leite e seus derivados, que podem ser vistos nas Exposições Agropecuárias que ocorrem no mês de junho, além de grande produção de suínos, equinos, caprinos, ovinos e galináceas.

 

O município é rodeado de serras e o ponto mais alto é de 1.069 metros, localizado na Serra do Bonito, próximo a cabeceira do córrego Palmeira. O clima é tropical e a vegetação é constituída pelo cerrado brasileiro, a fauna local apresenta grande variedade em espécies e o ambiente dispõe de muitos recursos ecológicos.

 

O rio mais importante do município é o Urucuia, com grande volume de água que no inverno ficam claras esverdeadas, e no verão período chuvoso, suas águas ficam avermelhadas da cor de barro. Este rio é de grande notoriedade não só para Buritis, mas também para o Estado de Minas Gerais e para o Brasil, por ser formador da Bacia do Rio São Franscisco e está presente nas obras do escritor mineiro João Guimarães Rosa.

 

Diversos rios e córregos passam pelo município, como o rio São Domingos, São Vicente, Mangues, Confins, córrego Barriguda, Extrema, Passa Três, Ribeirão Fetal, Cupim, formando na geografia montanhosa do lugar, diferentes cachoeiras espalhadas pela região.

 

Existem mais de quarenta cachoeiras catalogadas no município. Confira algumas destas belas paisagens naturais que o Programa Trilhas Urucuianas visitou através das nossas expedições aventureiras pelo rico cerrado da região.

 

Buritis também se destaca no esporte, a geografia montanhosa do lugar favorece a prática de trilhas na região e de Mountain Bike, o ciclismo ganha a cada dia novos adeptos e o motocross também é praticado por aqui com significativo número de adeptos. As cavalgadas e as carreatas de carros de boi são parte da tradição deste município mineiro.

 

 

Deixe uma resposta